PUBLICIDADE

Polícia Federal avança contra grupo de hackers que divulgou dados privados do presidente Jair Bolsonaro

Crimes de corrupção de menores, invasão de dispositivo informático, organização criminosa e estelionato estão na lista dos crimes investigados pela polícia.

A Polícia Federal segue dando continuidade à ação contra hackers que têm invadido sistemas de órgãos públicos. Em muitos casos, hackers divulgaram dados privados, o que inclui algumas informações privadas do presidente Jair Bolsonaro.

PUBLICIDADE

A operação “Capture the Flag” tem como alvo o grupo que acessou dados privados e sigilosos do presidente, como resultados de seus exames médicos, além de dados pessoais associados a família do presidente. Militares também foram alvos dos hackers.

3 mandados de prisão foram cumpridos contra jovens acusados de envolvimento nos crimes. Um jovem de 19 e dois adolescentes de 17 anos tiveram as casas vasculhadas pelos policiais federais, em cumprimento de mandados de busca e apreensão.

Os envolvidos são acusados de ter disponibilizado, de forma ilícita, dados pessoais e privados de cerca de 200 mil servidores públicos. Para a Polícia Federal, a intenção dos hackers era promover intimidação e constrangimento contra as vítimas.

PUBLICIDADE

Universidades, prefeituras, câmaras de vereadores e outros espaços públicos foram invadidos pelos cybercriminosos em pelo menos 4 estados, sendo eles Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Goiás e Paraná. Mais de 90 instituições foram invadidas apenas no Rio de Janeiro.

Crimes de corrupção de menores, invasão de dispositivo informático, organização criminosa e estelionato estão na lista dos crimes investigados pela polícia. A ação da Polícia Federal acontece em um momento em que sistemáticos vazamentos comprometem figuras políticas.

PUBLICIDADE

A própria Polícia Federal do Rio de Janeiro está enfrentando uma grave acusação de ter tido vazamento de informações que prejudicaram algumas investigações. O momento, portanto, é favorável a uma investigação nesse sentido.

Já há anos que informações políticas vazadas são usadas como forma de intimidação no meio político. As informações vazadas sobre o presidente Bolsonaro, por exemplo, geraram uma onda de repercussão sobre informações que deveriam ser privadas.

No caso dos menores, suas identidades são preservadas pela constituição. A polícia investiga quem é o líder do bando.

Autor