PUBLICIDADE


Sonhos não morrem: aos 92 anos, idoso usa a tecnologia para realizar um desejo antigo e se formar arquiteto

Quando se formou no ensino médio, seu Carlos Augusto Manço não detinha condições financeiras para bancar os estudos de uma faculdade.

Quando se formou no ensino médio, seu Carlos Augusto Manço não detinha condições financeiras para bancar os estudos de uma faculdade. Ele precisaria sair de sua cidade natal para perseguir o sonho, mas não teve a chance.

PUBLICIDADE


Para começar a trabalhar e assumir as responsabilidades, ele realizou um curso técnico e começou a trabalhar na área. A vida foi acontecendo, as responsabilidades aumentando e cada vez menos tempo sobrou para os estudos.

Ainda assim, esse foi um sonho que nunca saiu da sua mente, mesmo com toda a vida acontecendo. Agora, aos 92 anos, ele decidiu que era a hora e está caminhando para finalizar o terceiro ano da faculdade de arquitetura, com muita satisfação.

O estudante gostava da rotina de ir para a faculdade e ter contato com os colegas e professores, mas durante a pandemia está tendo que superar as dificuldades e estudar pelo computador. A tecnologia é um obstáculo, mas ele é determinado.

PUBLICIDADE


Quem ajuda com a tecnologia é a neta, Isabella Bucci. Ele está passando a quarentena isolado na casa da filha e isso facilita na hora de pedir ajuda para a neta. Ainda assim, seu Carlos faz questão de dizer que está aprendendo.

Para manter a mente sã, ele mantém uma rotina saudável e procura se ocupar ao longo do dia. Acorda cedo, assiste aulas e realiza algumas pesquisas, já pela tarde se dedica as tarefas. Seu Carlos nos lembra que é importante manter a mente funcionando e que tudo vai voltar ao normal.

PUBLICIDADE


Autor